IMPORTAÇÃO SEM SEGREDOS? É FÁCIL SE FIZER ISSO DE MANEIRA INTELIGENTE


Importação Sem Segredos. A importação é um excelente negócio para quem deseja reduzir a dependência de fornecedores locais, e expandir a sua operação, comprando novos produtos, tendo a acesso a novas tecnologias, inovação constante, a preços menores, e aumentar a sua lucratividade.

Mas isto só é possível na cabeça do empreendedor, se houver dois pilares:

  1. Segurança

  2. Estar dentro da legalidade

A crença geral daqueles que não importam, é que este mercado foi feito para dar errado, e de que alguma forma, você vai ser ‘capturado’ pelas garras da Receita Federal, com pesadas multas e atrasos.

E que ´existe´ um segredo escondido, guardado a 7 chaves, de que só as maiores empresas conseguem cumprir 100% das regras, e com isso ter altos lucros.

Inclusive, alguns vendem estes ´segredos´, chegando a dizer que se você não aproveitar a chance, rapidamente aquela informação vai ser retirada do ar.

Francamente, né? A importação é complexa, cheias de regras, e existe uma curva de aprendizado longa.

Mas há um modelo acessível, disponível para todos, que se você seguir o checklist, não vai ter multa, não vai ter atrasos, e vai ter lucratividade COM SEGURANÇA.

Então, se você chegou até este conteúdo, em busca de importar, com segurança e lucratividade, eu vou desvendar os segredos da importação, para você usar no seu negócio, de maneira inteligente e acessível.


A IMPORTAÇÃO É UM BOM NEGÓCIO?

Há 20 milhões de empresas em atividade no Brasil, segundo dados oficiais da Receita Federal.

Reduzindo este número apenas para empresas comerciais, que compram e revendem, este número chega a 6 milhões. Ou seja, este é o tamanho possível das empresas que poderiam importar regularmente.

Mas apenas 40 mil empresas estão neste segmento, segundo dados oficiais do Ministério da Economia.


Por que menos de 1% das empresas comerciais estão importando?

Minha teoria é que a burocracia estatal sobre as importações impede que pequenas empresas possam fazer isto de forma simples.

Importar no Brasil é complexo, cheio de normas e regras, e tudo é feito para que a coisa não dê certo no final.

É impensável que mesmo com tanta tecnologia, os órgãos fiscalizadores ainda exijam papéis assinados de próprio punho, como a fatura comercial, para citar apenas um dos muitos absurdos que temos na atualidade.

Mas isto está mudando.

A facilitação econômica foi implementada no Brasil em 2013, e de lá para cá, os empresários brasileiros estão experimentando mudanças nunca vistas.

Projetos com o Portal Único de Comércio Exterior, DU-E e DUIMP provam que as coisas caminham para redução da burocracia estatal, tornando-os mais eficientes e harmonizados.


Mas ainda assim, é um bom negócio importar? Sim, é.


Como já disse, meu ramo de negócio é facilitar a importação empresarial para pequenas e médias empresas, e sou responsável por analisar a viabilidade de centenas de importações mensais.

E nestas análises técnicas, vejo importações que trazem o dobro ou o triplo de retorno para os empresários.

Eles compram por 1x e conseguem vender por 2x ou 3x, em diversos segmentos, como PET, Informática, Acessórios para Bike, Roupas (sem ser der marca!), Material Escolar, e muitos outros.

‘Mas a carga tributária no Brasil é muito alta, Carlos! Como eles conseguem?’

Esta é a pergunta recorrente, e a minha resposta é a mais simples possível: ache o seu nicho viável, estude profundamente o que ele procura, e depois vá em busca de fornecedores competentes.

Este são os 2 próximos pontos que iremos abordar.

ENCONTRANDO O SEU NICHO DE NEGÓCIO

Por mais óbvio que possa parecer, você só deve importar aquilo que tem paixão ou habilidade, e que dê dinheiro.

Não adianta você querer entrar no Mercado de Suplemento Alimentares, só porque o sue vizinho está lá, e que ganha muito dinheiro. Você não sabe quais são os estágios que ele teve de passar, até que o seu negócio esteja dando resultado.

Assim, a resposta para a pergunta:


QUAL É O RAMO DE NEGÓCIO QUE MAIS VALE A PENA?

é:

AQUELE QUE VOCÊ JÁ CONHECE E DOMINA E TEM CONHECIMENTO!

Trabalha com artigos de PET Shop? Este é o seu ramo de importar.


É expert em Iluminação? Então mergulhe na importação destes produtos.

Conhece como ninguém o mercado de Utilidades para o Lar? Então pisa fundo na importação.

A regra de ouro aqui é: comece por aquilo que você entende, e especialize-se neste ramo.

Uma dica para quem está começando: evite nichos com alta regulamentação, principalmente se o produto necessitar de Anvisa, Inmetro ou Anatel.

Obter autorizações para a importação de produtos destes ramos pode custar 30, 50 ou até 100 mil reais, só em certificação. Se você não tem capital suficiente para começar com um custo fixo deste, o meu conselho é evitar ou deixar para depois.


EU JÁ TENHO O NICHO, MAS SERÁ QUE EXISTE DEMANDA?

Vamos considerar que você vá vender em mercados onlines, como o Mercado Livre. Neste Market Place, existe uma excelente ferramenta que o Tendências (link aqui).

Esta ferramenta é a mais prática que eu conheço para descobrir a ´temperatura´ do seu nicho. Ela te dá a oportunidade de conhecer, de forma rápida, quais as novas oportunidades que a plataforma oferece para produtos do seu segmento, te permitindo explorar as tendências e o nível de competição.

De uma forma muito rápida, você consegue navegar por várias categorias, obtendo informações de vendas, preços, produtos, concorrentes, tipos de frete, anúncios.

Existem também ferramentas pagas que te dão informações mais profundas sobre os diversos Markets places (como Amazon, Magazine Luiza, Americanas, dentre outros), que irão te auxiliar na tomada de decisão.


COMO ENCONTRAR FORNECEDORES CONFIÁVEIS NO EXTERIOR?

Vamos considerar que o seu produto esteja na China, e com isso a suas possibilidades de encontrar ótimos fornecedores é alta, e com preços acessíveis.

Então, existem 3 possibilidades de encontrar um fornecedor para você

  1. Pela Internet

  2. Em feiras especializadas (no Brasil e na China)

  3. Fazendo viagens a centros comerciais na China

Atualmente, a única possiblidade viável é a primeira (já que as duas últimas estão bastante restritas). E o mecanismo de pesquisa mais difundido é o Alibaba.com (link aqui).

Comece pesquisando o seu nicho de produto, e tente encontrar o máximo de fornecedores possíveis.

Na tela do produto, há um botão para você iniciar uma negociação com o fornecedor. Faça isto, e solicite uma FATURA PROFORMA, para garantir a oferta.

Com esta fatura proforma, você terá todo o conjunto de informações necessários para cuidar da análise de viabilidade comercial da operação.

Este é o nosso próximo tópico.


QUANTO VAI CUSTAR A MINHA IMPORTAÇÃO?

A formação de preço na importação passa por 4 grandes blocos de custos: MERCADORIA, LOGÍSTICA INTERNACIONAL, TRIBUTOS E DESPESAS ADUANEIRAS.

A carga tributária é o maior impasse na viabilidade de qualquer operação, já que o governo é o seu sócio majoritário, e não espera você vender para ele receber.

Além de cobrar muito, ele quer receber antecipadamente. Assim, você vai pagar tributo muito antes da carga chegar ao seu estoque e ser colocado para venda.

E quanto é esta carga tributária?

O percentual depende de cada ramo, e você precisa ter em mãos a NCM (nomenclatura aduaneira) que é definida produto a produto.

E para fazer isto da melhor forma possível, você vai precisar de um despachante aduaneiro para lhe auxiliar, principalmente porque o erro te custará uma multa.

A logística internacional não pode ser desprezada, já que alguns acontecimentos recentes a tornaram muito cara. Com isso, você vai precisar ter um excelente parceiro logístico para te ajudar nesta jornada.

E as despesas aduaneiras? Elas são importantes no processo, mas são a menor parte. Boa parte delas são fixas, e quando mais você importar (em valor), menor vai ser o seu impacto.

Com o preço do produto já definido, a carga tributária identificada, a logística internacional montada, e as despesas aduaneiras identificadas, o próximo passo é PLANILHAR.

Sim, planilhas! Você vai fazer muitas delas para identificar a viabilidade da sua importação.


PREPARANDO A SUA EMPRESA PARA A IMPORTAÇÃO

Você já tem ramo definido, capital de investimento separado, já encontrou o fornecedor adequado e já identificou a viabilidade.

Qual o próximo passo? Preparar a sua empresa para a importação.

Até agora eu não disse, mas você só vai conseguir fazer importação para distribuição ser for através de uma empresa.

Sim, é necessário ter uma empresa para fazer Importação Empresarial.

A depender do ramo escolhido, e se ele for “Regulamentado”, vai ser preciso credenciar o seu CNPJ em órgãos como Anvisa, Mapa, Inmetro, Anatel, dentre outros. Para isto, vai ser necessário contratar uma consultoria especializada em regulação do órgão, e esperar que tudo esteja pronto.

Por outro lado, se o setor que você escolheu não tiver regulamentação para a importação de produtos, basta que o seu CNPJ esteja ativo, e que solicite a Habilitação no Radar Siscomex.

Só isto, ter o Radar e nada mais?

Falta pouco, mas eu ainda recomendaria você pensar em um software para a emissão eletrônica da Nota Fiscal de Importação, que não é pouca coisa.


Também eu aconselho você contratar um Despachante Aduaneiro experiente, para lhe ajudar em toda esta caminhada.

Ele vai encurtar o seu caminho na burocracia aduaneira (que não é pequena) e vai salvar tempo e o seu bolso, evitando dores de cabeças com erros que vão te impedir de ser produtivo.


E COMO FUNCIONA A BUROCRACIA NA IMPORTAÇÃO?

Bem, ela é tratada produto a produto, embarque a embarque.

Para cada operação, vai ser necessário conhecer a Classificação Aduaneira dos produtos, e verificar as exigências na importação.

Estas exigências são conhecidas como Tratamento Administrativo, e que descrevem as obrigações legais que o importador vai passar. Eu costumo chamar esta fase de Diagnóstico Administrativo.

Neste Diagnóstico Administrativo, são levantadas informações sobre a classificação fiscal, as exigências administrativas, se há obrigatoriedade de licenciamento prévio, de registro do produto e/ou empresas, e a carga tributária.

É a fase mais importante do processo, que deve ser pesquisada antes do fechamento comercial. Existem exigências que não poderão ser cumpridas, e a negociação comercial deverá ser cancelada.

E nesta fase, se você tiver o apoio de um despachante aduaneiro, a sua vida vai ser muito mais fácil. E a sua decisão de escolha (ou não) vai depender da quantidade de tempo que você vai direcionar para o seu projeto.

A importação no Brasil é complexa, mas não é restrita a um grupo de executores. Você mesmo pode fazer a sua importação, sem a necessidade de um terceiro lhe representando.

Ocorre, porém, que por ser complexa, qualquer erro pode te custar muito dinheiro. A multa mais básica na importação começa com R$ 500,00, podendo chegar na casa de milhares de reais.

Você está disposto a aprender com os seus próprios erros, ou acha que contratar alguém pode lhe ser útil, e você vai focar na distribuição e venda?

O Brasil é campeão em procedimentos burocráticos, normas sem sentido, e multas de todos os jeitos, que o iniciante na importação precisa ficar atento.

Questões como tratamento administrativo, carga tributária e procedimentos alfandegários estão entre os itens que mais exigem do interessado, sobretudo se ele for novato.

Importar não é fácil e requer a ajuda de um especialista. Se você não puder contratar um, torne você o especialista.


VAMOS RESUMIR ESTES POUCOS SEGREDOS

  • Você já tem o nicho definido …

  • Já encontrou o fornecedor confiável …

  • Já identificou a demanda do seu mercado …

  • Já fez a análise de viabilidade …

  • Já tem um apoio operacional e técnico para lhe auxiliar …

  • Já tem a empresa aberta e com o Radar …

O que falta mais?

Botar a mão na massa!

Importação é muito bonita no Power Point, mas é na prática que sentiremos as dores e os desafios. Você vai descobrir o que precisa ser ajustado depois que colocar o seu primeiro embarque no mar.


E quanto que você precisa para importar?

Esta é uma das perguntas que mais recebo, e que não tem uma resposta exata. Mas eu defino que o ideal é começar com 5 mil reais por item, com um mínimo de 60 mil reais.

Hoje eu atendo a empresas (de todos os tamanhos) em diversos segmentos, desde a informática e papelaria, até máquinas e equipamentos, passando por roupas, acessórios da linha PET, ferramentas, brinquedos para animais, produtos de beleza, acessórios para bicicletas, bijuterias, embalagens, garrafas térmicas e muito mais.

E valores abaixo deste que citei até podem dar lucro, mas vai ser muito minguado. E qualquer variação de dólar ou desajuste na logística, pode colocar a operação em risco.

E COMO COMEÇAR?

Comece com operações pequenas, que lhe darão a oportunidade de aprender com o processo.

Estas operações nem sempre serão lucrativas, mas é uma chance de ouro de conhecer as suas dificuldades internas e externas, e com isso, se ajustar para as operações maiores que virão.

Você vai passar por situações de como efetuar o pagamento internacional, identificação da classificação aduaneira (NCM), análise e aprovação dos documentos internacionais, contratação do frete e seguro internacional, efetuar a inspeção da carga na origem, gerenciar a logística internacional, acompanhar e verificar a chegada da mercadoria, e cuidar do despacho aduaneiro.

Tudo isto pode ser feito por um profissional especializado, ou se você quiser, nós temos um curso ideal para você, que é o Importação Essencial.

Neste link você pode conhecer a minha proposta de te ensinar a importação em poucas etapas, e pode também conhecer o que os meus ex-alunos falam sobre o treinamento.