Freelance, mas com Saúde

Atualizado: Jun 1

9 dias lições importantes sobre a síndrome do impostor.

Pesquisa recente identificou que 66% das mulheres se sentem desafiadas pela perspectiva de abrir seu próprio negócio e / ou freelancer.

Quando os entrevistados foram solicitados a entrar em mais detalhes sobre quais aspectos eles achavam que os estavam impedindo, eles listaram:

  • Lacuna salarial, insegurança financeira

  • Medo de falhar

  • Percebida falta de experiência

  • Tempo consumido pelas responsabilidades domésticas

O medo do fracasso e a percepção da falta de experiência são os principais sintomas do fenômeno comum conhecido como Síndrome do Impostor.

Acredito que será útil mergulhar neste importante tópico como uma comunidade para que possamos aprender mais sobre o que é a síndrome do impostor, como os sintomas se manifestam e como curar eficazmente seus efeitos debilitantes.


Aqui estão nove lições importantes:


# 1: Não são as desculpas, é a falta de coragem que está impedindo você


Uma lista das desculpas mais comuns que usamos para justificar a inação. Dê uma olhada nesta longa lista de desculpas. Talvez você possa até apontar alguns favoritos que está usando agora para justificar por que não fez progresso em direção suas metas.

  • Tarde, não é o tempo certo ainda

  • Tarde, não estou pronto ainda

  • Tarde, não tenho tempo

  • Sou muito novo

  • sou muito velho

  • Estou aposentado. Não tenho energia

  • Sou muito ocupado

  • Não sou do tipo de pessoa que realiza isto

  • Eu não disciplinado suficiente

  • Eu sou muito estupido, não sei fazer isto

  • Minha vizinhança é barulhenta demais

  • Moro em um bairro pobre

  • Moro em um bairro violento

  • Preciso de ajuda, mas ninguém quer me ajudar

  • É muito complicado/arriscado/consome muita energia

  • É muita coisa. Nem sei por onde começar

  • Nem é tão importante. Consigo viver sem arrumar isto

  • Preciso de mais tempo para pensar sobre isto

  • Nosso ter os dois. Sucesso na carreira e na família

  • Não sou esperto/bom/competente/força...o suficiente

  • E sou medroso, eu não tenho coragem

É da natureza humana referir-se a essa longa lista de desculpas para justificar a inércia, mas quando olhamos mais profundamente sob a superfície, começamos a entender que não são essas desculpas que nos impedem, é o medo.

O medo assume muitas formas diferentes em nossas vidas, mas quando obstrui ativamente nossos esforços para seguir em frente em direção aos nossos objetivos, é por causa de nossa própria falta de coragem. Cada vez que você diz que não pode fazer algo porque não tem coragem, você perde um pouco de confiança e senso de controle sobre sua vida. Ao sucumbir ao medo e perder a confiança em nós mesmos, estamos corroendo nosso próprio senso de poder e agência para moldar nossa existência.



# 2: Para nos tornarmos corajosos, precisamos nos tornar amigos do fracasso


Coragem não significa que você não tem medo, significa que você aprende a superá-lo e faz de qualquer maneira! E se ganhamos coragem estamos prontos, se necessário, a encarar o fracasso. E como aprendemos a encarar o fracasso? Você adivinhou - fracassando! E não é aceitando e se curvando para ele. É trabalhar focado, sem a ancora do medo de que isto pode acontecer.


# 3: Quer seguir em frente? Faça a si mesmo 4 perguntas

  • O que eu quero mudar ?

  • Por que eu quero fazer isso?

  • Quais são meus principais obstáculos?

  • Estou com medo de quê?

"O sentido da vida é encontrar o seu presente. O propósito da vida é doá-lo." - Pablo Picasso


# 4: Faça um plano (em seguida, cumpra-o)


Aqui está o processo para seguir em frente:


Plano

  1. Tome uma decisão

  2. uma vez tomada a decisão, não reconsidere fazer apenas por um "tempinho", mas se comprometa com você mesmo a concretizá-lo

  3. Verbalize de uma forma positiva

  4. As palavras disparam gatilhos importantes

  5. Escreva para criar conexões

  6. Coloque estas ações no seu calendário

  7. Conte para pessoas sobre suas metas e decisões

Um plano de trabalho para caminhar em direção a um futuro mais corajoso.

# 5: Os cientistas começaram a estudar a síndrome do impostor nos anos 80

A síndrome do impostor é o sentimento crônico de que os outros estão superestimando suas habilidades, enquanto você mesmo sabe que é uma fraude. Também é marcado pela data de expiração da assinatura nessa "fraude" percebida - que é apenas uma questão de tempo até que todos percebam o que você sabia o tempo todo: que você é completamente incompetente.


# 6: Existem 5 "tipos" de impostores

Ter a síndrome do impostor é bastante difícil, então imagine nossa surpresa quando descobrimos que existem 5 "tipos" distintos da síndrome do impostor!

  • O Perfeccionista nunca se contenta com nada menos do que a perfeição e está sempre convencido de que seu trabalho pode ser melhor. Se obtiverem 99% em um teste, o perfeccionista pensa: "Por que não 100? Que vergonha!"

  • O especialista nunca está satisfeito com seu próprio nível de compreensão e, embora seja altamente qualificado, subestima sua própria experiência. Mesmo uma pequena falta de conhecimento os envia cambaleando em uma espiral de vergonha.

  • O Solista acredita que é um sinal de fraqueza contar com outras pessoas. E como você não pode contar com outras pessoas, você deve ser perfeito sozinho.

  • O Gênio Natural acredita que tudo deve vir naturalmente para eles . Eles definem objetivos excessivamente elevados e sentem uma vergonha imensa quando não conseguem na primeira tentativa.

  • O super-herói parece ser um resultado direto de nossa sociedade obcecada por mídia social. Este tipo de síndrome do impostor acredita que você tem que ser perfeito em absolutamente todos os aspectos de sua vida: nos negócios, como pai, nos relacionamentos, nas amizades, etc. Todos os aspectos de sua existência devem estar no nível de perfeição do filtro do instagram e a incapacidade de viver de acordo com esse padrão completamente impossível vem com ... você adivinhou ... profunda vergonha e auto-aversão.



# 7: Os homens também sofrem de síndrome do impostor

Quando os cientistas começaram a estudar a síndrome do impostor nos anos 80, eles acreditavam que era um fenômeno que afetava quase exclusivamente mulheres de alto desempenho. Mas a pesquisa moderna provou que essa sensação debilitante de ser uma fraude afeta ambos os sexos. Pode-se até argumentar que sofrer da síndrome do impostor é especialmente difícil para os homens, uma vez que os homens são tradicionalmente ensinados por nossa sociedade que devem reprimir todas as emoções desagradáveis ​​e sofrer em silêncio.


# 8: Comparar-nos com os outros é um pecado mortal

Especialmente porque geralmente nos comparamos no nosso pior, com os outros quando eles estão no seu melhor.


# 9: Para começar a curar, devemos aprender a nos aceitar como somos

Pessoas que sofrem da síndrome do impostor são alguns dos mais gentis e compassivos parceiros, amigos e colegas de trabalho. A triste ironia é que muitas vezes são incapazes de emprestar essa mesma compaixão - que demonstram quase universalmente às pessoas ao seu redor - a si mesmos.

Para começar a se curar desse estado constante de vergonha e aversão a si mesmo, é importante começar a se tratar com a mesma bondade e compaixão que você mostra a todas as outras pessoas em sua vida.

O próximo passo é ajustar seu pensamento autolimitado; não pense nisso como baixar a medida. Em vez disso, pense nisso como simplesmente ajustar seus padrões a um nível em que você não se sinta constantemente inadequado. É sobre aceitar o fato de que você nunca será perfeito, nunca será o melhor, e isso não importa, porque você ainda é bom o suficiente.